Formalmente conhecida como Registro Geral, a identidade brasileira é emitida pela unidade federativa de moradia do cidadão. As informações são extraídas da Certidão de Nascimento — primeiro documento de registro — apresentada no ato da solicitação. Daí retiram-se dados como a filiação, a data e o estado de nascimento do solicitante.

A necessidade de possuir um documento de identificação não é surpresa para ninguém. Seja para o preenchimento de um formulário de trabalho, o cadastro para um atendimento médico ou ainda para apresentar no embarque de um voo para países vizinhos, a carteira de identidade é fundamental.

Tecnologia na hora de tirar a carteira de identidade

Há pouco tempo atrás, como ainda acontece em alguns postos de atendimento espalhados pelo país, era preciso portar também uma foto 3×4 recente. Hoje em dia, no entanto, a maioria dos departamentos que emitem a documentação conta com câmeras digitais que registram a imagem da pessoa na hora agendada. Isso ocorre também para a coleta das digitais e da assinatura.

Essa modernização trouxe muitos benefícios ao serviço. Os mais relevantes são, sem dúvida, a agilização de todo o processo e a redução de erros no ato do registro. Por essa razão, o investimento em tecnologia — no que se refere aos trâmites burocráticos — gera um rápido retorno para as instituições responsáveis ou, em outras palavras, aos cofres públicos.

Órgão emissor

Geralmente, os órgãos emissores dos estados variam entre institutos de identificação vinculados à área de segurança pública ou diretamente à Polícia Civil, Departamentos Estaduais de Trânsito (Detran) ou postos que agilizam o atendimento a serviços burocráticos, como o PoupaTempo. Além do número de registro correspondente à carteira de identidade, muitas vezes o órgão emissor, ou expedidor, também é solicitado em algumas circunstâncias.

Informar quem emitiu o seu documento é mais uma garantia de segurança na checagem de dados de identificação. Isso porque um mesmo órgão expedidor não produzirá dois registros gerais de mesma sequência de números. Por segurança, também, recomenda-se sempre carregar consigo sua carteira de identidade ou até mesmo uma cópia colorida autenticada em cartório.

Atendimentos relacionados com a identidade

A cópia pode facilitar a sua vida, caso você seja furtado ou perca o papel. Caso isso aconteça, basta alertar instituições responsáveis pela segurança pública e órgãos de proteção ao crédito, mas você não precisará emitir uma segunda via do documento se levarem a cópia.

A segunda via, no entanto, não é o único serviço relacionado com a carteira de identidade. Há circunstâncias que exigem a alteração de dados — para corrigir erros de cadastro ou realizar mudança de sobrenome, por exemplo, ao atualizar o estado civil —, a renovação quando a original apresenta validade, entre outras situações associadas à necessidade de realizar a identificação de cidadãos naturais ou naturalizados no Brasil.

De qualquer maneira, seja qual for o serviço que você precise, possuir seu documento de identidade atualizado e em boas condições é muito importante. Como se trata de uma maneira de comprovar os dados pessoais e a fisionomia do portador, você precisará apresentar a carteira de identidade muitas vezes ao longo de sua vida.