Renavam

O Renavam, sigla para Registro Nacional de Veículos Automotores, é a “carteira de identidade” do automóvel. É um número de 11 dígitos que registra toda a informação do veículo e toda a sua vida útil. Desde que saiu de fábrica (no caso de veículos nacionais) ou foi importado (no caso de veículos importados) até quando foi descartado, tudo está registrado por esse número.

Com esse registro nacional, é possível conhecer informações como: características do automóvel, emplacamento, proprietário atual e anterior(es), caso tenha havido mais de um, licenciamento, furtos, entre outras.

Esse documento é obrigatório para todos os tipos de veículos, desde carros até motos, caminhões, vans e até tratores. Como é um código vitalício, que guarda o histórico do veículo, é de suma importância para quem pensa em adquirir um automóvel seminovo ou usado.

Para que serve o Renavam

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) é o órgão federal que organiza e distribui as informações contidas no Renavam para os Detrans, os Departamentos Estaduais de Trânsito, que são os organismos dos estados.

Com o número do Renavam, é possível retirar, no site dos Detrans, o Nada Consta do veículo. Basta entrar no site do Detran do seu estado e digitar o número no campo do formulário juntamente com as letras da imagem solicitada.

Também é possível fazer o seguinte: consultar o número do Renavam digitando a placa do veículo. Nesse caso, do mesmo modo que no caso anterior, é só entrar no site do Detran do seu estado e digitar a placa juntamente com as letras da imagem solicitada. Você obterá, assim, o número do registro nacional e o histórico do veículo ao qual ele pertence.

Algumas informações importantes contidas no Renavam

Como dissemos, esse número guarda o histórico do veículo. Nele, segundo o artigo 125 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), podem ser consultadas as seguintes informações:

  • chassi;
  • placa;
  • marca/modelo;
  • ano de fabricação;
  • unidade da federação (UF);
  • município;
  • tipo de veículo;
  • cor;
  • combustível;
  • ano;
  • restrições;
  • débitos de IPVA e seguros;
  • registros de roubo ou furto;
  • multas recebidas;
  • mudança de proprietário;
  • licenciamento;
  • IPVA do ano em curso;
  • seguro DPVAT;
  • impostos atrasados.

O número do Renavam, como ocorre com o número do RG (nossa carteira de identidade), é sequencial e único para cada veículo, não podendo, por isso, ser duplicado.

Assim, é uma segurança a mais na documentação de seu veículo. Ele não pode ser reutilizado nem mesmo quando o veículo é descartado. Acompanha sempre o veículo, passando de proprietário para proprietário, até o descarte final.

O Renavam segue o Certificado de Licenciamento do Veículo (CRLV) e o Certificado de Registro de Veículo (CRV). O CRLV deve sempre acompanhar o veículo, sendo um documento de porte obrigatório, de acordo com o artigo 121 do CTB.

É claro que algumas informações presentes nesse documento podem ser alteradas, como a cor, a localização e o proprietário. Mas as vitalícias, que guardam a identidade do automotor, como o chassi e o histórico de multas e impostos, essas ficam impressas no código até o descarte do veículo e servem para atestar sua procedência.

Cuidados na compra de um seminovo

Acima, falamos um pouco da importância de consultar o Renavam ao adquirir um veículo seminovo ou usado. Vamos aproveitar e dar algumas dicas para que sua compra seja bem-sucedida e você evite problemas futuros.

É claro que verificar o custo-benefício do veículo é a primeira coisa a fazer. Mas você sabe o que mais deve ser olhado, além do valor de venda/compra? Fique atento aos pontos seguintes.

  • Fazer uma vistoria completa do veículo – isso vai evitar surpresas depois que o negócio estiver fechado, como a descoberta de problemas sérios ocultos.
  • Prestar atenção ao barulho do motor – o barulho vai lhe dizer como o motor está funcionando. Não se trata de ser alto ou baixo, mas constante. Prestar atenção a isso é fundamental.
  • Testar o carro – um teste, mesmo que seja rápido, vai lhe dar uma ideia do funcionamento do veículo. Algumas funções podem não estar boas e você saberá rapidamente, mesmo com um breve teste.
  • Avaliar o valor de venda do veículo – consulte sempre a Tabela Fipe. Um veículo com preço baixo demais pode guardar problemas, mecânicos, judiciais ou de sinistro.
  • Verificar se o carro está regular – veja pendências judiciais, de impostos atrasados, multas e outras. Neste item, entra a consulta ao Renavam. Ele pode fornecer o histórico do veículo e atestar se a compra, neste aspecto, é viável ou não.
  • Verificar a desvalorização do veículo – um automóvel antigo demais pode acarretar problemas de venda futura e subir o valor do seguro. É preciso levar isso em conta quando for escolher um carro seminovo ou usado para compra.
  • Fazer um seguro – mesmo que você esteja comprando um carro usado, o seguro é importante. Vai evitar dores de cabeça no futuro com problemas e furtos.

Buscar informações para evitar problemas

Há outros aspectos a serem levados em conta no momento da compra de um veículo seminovo, mas acreditamos que, verificando esses itens, você já poderá assegurar-se de fazer uma boa compra.

Contudo, como já dissemos, o número do Renavam, que é a identidade do veículo, guarda todo o seu histórico. Isso significa que o candidato a proprietário de um seminovo pode verificar se ele tem débitos pendentes, como multas devidas, impostos atrasados, entre outros.

É preciso pedir ao vendedor do veículo que lhe passe esse número para que você verifique junto ao Detran se está tudo correto. Com esse registro e o número da placa do veículo em mãos, é possível verificar a situação do automóvel que você pretende adquirir.

Como usar o Renavam a seu favor

Como dissemos, no site do Detran é possível tirar o Nada Consta do veículo, atestando que não constam débitos. Caso o vendedor não queira passar o número do Renavam, talvez não seja essa uma boa compra. Um registro nacional com problemas pode acarretar, por exemplo, a apreensão do veículo. Por isso é melhor não comprar um veículo em débito ou com algum problema no código.

O Renavam é uma segurança a mais para o proprietário. Ele deve ficar atento a isso e usá-lo como uma ferramenta a seu favor quando for adquirir seu seminovo ou usado. Assim, poupará a si mesmo vários problemas futuros.